Translate

2 de setembro de 2015

e-Gonomics: indicadores dinâmicos da economia brasileira


BACEN. INDICADORES ECONÔMICOS CONSOLIDADOS.

BACEN. BOLETIM FOCUS: RELATÓRIO SEMANAL DE MERCADO

PIB Δ% (Fontes: MF. BACEN. MPOG. IBGE. Organismos Internacionais. Mercado)

Taxa média de crescimento 1995-2002: 2,6%
Taxa média de crescimento 2003-2010: 3,5%
Taxa média de crescimento 2011-2014: 2,1%
Taxa de crescimento em 2014: 0,1%
Taxa de crescimento em 2015. 1° trimestre: -0,2%
Agropecuária: 4,7%
Indústria: -0,3%
Serviços: -0,7%
FBCF/Investimentos: -1,3%
Consumo das Famílias: -1,5%
Consumo do Governo: -1,3%
Taxa de crescimento estimada para 2015:
MF e MPOG: -1,8%
BACEN: -1,1%
CNI: -1,6%
Mercado: -2,26%

Taxa de crescimento estimada para 2016:
MF e MPOG: 0,2% (PLDO-2016)
2017: 1,7
2019: 2,5
Mercado: -0,40%

CEPAL
2015: -1,5%
Estudio Económico de América Latina y el Caribe 2015: http://repositorio.cepal.org/bitstream/handle/11362/38713/1500454_es.pdf?sequence=21

BANCO MUNDIAL
2015: -1,3%
2016: 1,1%
2017:2%
WORLD BANK. June 10, 2015. GLOBAL ECONOMIC PROSPECTS - JUNE 2015, The Global Economy in Transition

July 9, 2015. IMF Survey. Magazine: In the News. WEO April 2015. WORLD ECONOMIC OUTLOOK UPDATE. Growth Slows in Emerging Markets, Picks Up in Advanced Economies
2015: -1,5%
2016: 0,7%

Projeções do FMI: IMF Executive Board Concludes 2014 Article IV Consultation with Brazil. April 10. 2015 (http://www.imf.org/external/np/sec/pr/2015/pr15167.htm):
2015: -1,0%
2016: 0,9%
2017: 2,2%
2018: 2,3%
2019: 2,4%
2020: 2,5%

Valor do PIB em 2013: US$ 2.245.673.032.354 (Banco Mundial)
Valor do PIB em 2014: US$ 2,346,118,175,194 (Banco Mundial)

PROJEÇÃO DA POPULAÇÃO BRASILEIRA (Fonte: IBGE)

Estimativa: 204.752.696

TRABALHO. EMPREGO E RENDA (Fontes: IBGE e MTE)

Pesquisa mensal nas principais capitais do país (RJ, SP, BH, POA, Salvador e Recife)

Taxa média mensal 2003/2010: 8,28%
Taxa média mensal 2011/2014: 5,37%
Desemprego em Julho/2015: 7,5%

PNAD-Contínua em todo Território Nacional. por Região

Taxa média trimestral 2012: 7,4%
Taxa média trimestral 2013: 7,1%
Taxa média trimestral 2014: 6,8%
Taxa média trimestral 2015 (abr-mai-jun): 8,3%

INFLAÇÃO OFICIAL – IPCA (Fonte: IBGE)

Obs.: Sistema de metas de inflação definido pelo intervalo entre 3% e 6% (ver Resolução 4.419 do BACEN, de 25/06/2015).

1993: 2.477,15% (antes do Plano Real)
1994: 916,46% (início do Plano Real)
Média 1995-2002: 9,2%
Média 2003-2010: 5,85%
Média 2011-2014: 6,2
2014: 6,41%
2015:

Período
TAXA
JULHO 2015
0,62%
Junho 2015
0,79%
Julho 2014
0,01%
Acumulado no ano
6,83%
Acumulado 12 meses
9,56%

Estimativa para 2015: 9% (MF e MPOG); 9,28% (Mercado)
Estimativa para 2016: 5,4% (MF e MPOG); 5,51% (Mercado)
Estimativas do BACEN (Relatório Trimestral de Inflação, de Junho/2015):
2015: 9%
2016: 4,8%
2017: 4,5%

TAXA DE JUROS BÁSICA SELIC (Fonte: BACEN/COPOM)

BACEN/COPOM. 28-29/07/2015: 14,25% (próximo COPOM – 01-02/09/2015)
Previsão do Mercado para 2015: 14,25%
Previsão do Mercado para 2016: 12%

POUPANÇA

Rendimento em 01/09/2015: 0,6930% a.m.

TAXA DE CÂMBIO MÉDIA (Fonte: BACEN)

Estimativa do Mercado para 2015: R$ 3,50/US$
Estimativa do Mercado para 2016: R$ 3,60/US$
Câmbio em 02/09/2015: R$ 3,74/US$

Carga Tributária Bruta no Brasil (Fonte: MF/Estudos e Estatísticas/Carga Tributária)

2000: 32,55%
2005: 33,38%
2010: 33,53%
2013: 35,95%
2014: 33,4% (preliminar IPEA)

Dívida Bruta do Governo Geral (DBGG/PIB)- Governo Federal. INSS. governos estaduais e governos municipais (Fonte: BACEN/Relatório Mensal de Política Fiscal)

Dezembro/2000: 49,4%
Dezembro/2005: 71,9%
Dezembro/2010: 55,0%
Dezembro/2014: 63,4%
Julho/2015: 64,6%

Projeções do MF e do MPOG:
2015: 64,7%
2016: 66,4%
2017: 66,3%
2018: 65,6%

RESERVAS INTERNACIONAIS (Fonte: BACEN. informação diária)

2000: US$ 30,1 bilhões
2005: US$ 53,8 bilhões
2010: US$ 288,6 bilhões
2014: US$ 374,051 bilhões
01/09/2015: US$ 370,687 bilhões

BALANÇO DE PAGAMENTOS em 2015 (Fonte: BACEN/Relatório Mensal do Setor Externo)

IED (fluxo total)

Anos
Mundo no Brasil
Brasil no exterior (IBD)
2014:
US$ 62,5 bilhões
US$ 26,042 bilhões
2015 (jan-jul)
US$ 36,926 bilhões
US$ 12,730 bilhões
2015 estimado:
US$ 65 bilhões(Mercado)
Projeção BACEN: 65 bilhões

2016 estimado:
US$ 65 bilhões(Mercado)


BALANÇA COMERCIAL BRASIL-MUNDO (Fonte: MDIC)

Ano
Exportações (X)
Importações (M)
Saldo (X-M)
Corrente (X+M)
2000
55.118.919.865
55.850.663.138
-731.743.273
110.969.583.003
2005
118.529.184.899
73.600.375.672
44.928.809.227
192.129.560.571
2010
201.915.285.335
181.768.427.438
20.146.857.897
383.683.712.773
2014
225.100.884.831
229.142.509.386
-4.041.624.555
454.243.394.217
2015 (jan-ago)
US$ 128,347 bilhões
US$ 121,050 bilhões
US$ 7,297 bilhões
US$ 249,397 bilhões

2015 estimado: (Mercado) US$ 8 bilhões
2016 estimado: (Mercado) US$ 16,80 bilhões

PETRÓLEO

ANP. 01/09/2015. PRODUÇÃO NO PRÉ-SAL ULTRAPASSA A MARCA DE 1 MILHÃO DE BOE/D EM JULHO

A produção total de petróleo e gás natural no Brasil no mês de julho alcançou aproximadamente 3,066 milhões de barris de óleo equivalente (boe) por dia, sendo 2,466 milhões de barris diários de petróleo e 95,3 milhões de metros cúbicos de gás natural.

Houve aumento de 8,8% na produção de petróleo se comparada com o mesmo mês em 2014 e de 2,9% na comparação com o mês anterior. A produção de gás natural aumentou 8,5% comparada a julho de 2014 e reduziu 0,2% frente ao mês anterior. Mais informações em: http://www.anp.gov.br/?pg=76990

Pré-sal

A produção do pré-sal, oriunda de 54 poços, foi de 812,1 mil barris por dia (bbl/d) de petróleo e 30,5 milhões de metros cúbicos por dia (m³/d) de gás natural, totalizando pouco mais de um milhão de barris de óleo equivalente por dia, um aumento de 8,4% em relação ao mês anterior. Os poços do “pré-sal” são aqueles cuja produção é realizada no horizonte geológico denominado pré-sal, em campos localizados na área definida no inciso IV do caput do art. 2º da Lei nº 12.351, de 2010.

Queima de gás

O aproveitamento do gás natural no mês foi de 95,8%. A queima de gás natural em junho foi de 4 milhões de metros cúbicos por dia, um aumento de aproximadamente 10,3% em relação ao mês anterior e redução de 11,3% em relação a julho de 2014.

Campos produtores

Cerca de 92,5% da produção de petróleo e gás natural foi proveniente de campos operados pela Petrobras. Aproximadamente 93,5% da produção de petróleo e 76% da produção de gás natural do Brasil foram extraídos de campos marítimos.

O campo de Roncador, na bacia de Campos, foi o de maior produção de petróleo, com uma média de 371,3 mil barris por dia, e o campo de Lula, na bacia de Santos, foi o maior produtor de gás natural, com uma produção média de 14,3 milhões de metros cúbicos por dia.

A plataforma P-52, localizada no campo de Roncador, produziu, através de 17 poços a ela interligados, cerca de 161,2 mil barris de óleo equivalente por dia e foi a plataforma com maior produção. Os campos cujos contratos são de acumulações marginais produziram um total de 66,5 barris diários de petróleo e 23,8 mil metros cúbicos de gás natural. Dentre esses campos, Bom Lugar, operado pela Alvopetro, foi o maior produtor de petróleo, com 27 bbl/d, e Morro do Barro, operado pela Panergy, foi o maior produtor de gás natural, com 22,9 Mm³/d.

A produção procedente das bacias maduras terrestres (campos/TLDs das bacias do Espírito Santo, Potiguar, Recôncavo, Sergipe e Alagoas) foi de 163.6 mil barris de óleo equivalente por dia, sendo 132,7 mil barris de petróleo por dia e 4,9 milhões de metros cúbicos de gás natural por dia. Desse total, 4 mil barris de óleo equivalente por dia foram produzidos por concessões não operadas pela Petrobras, sendo 365 barris de óleo equivalente por dia no estado de Alagoas1,887 mil barris de óleo equivalente por dia na Bahia, 32 barris de óleo equivalente por dia no Espírito Santo, 1,487 mil barris de óleo equivalente por dia no Rio Grande do Norte e 206 barris de óleo equivalente por dia em Sergipe.

Outras informações

Em julho de 2015, 308 concessões, operadas por 26 empresas, foram responsáveis pela produção nacional. Destas, 84 são concessões marítimas e 224 terrestres. Do total das concessões produtoras, uma encontra-se em atividade exploratória e produzindo através de TLD e outras oito são relativas a contratos de áreas contendo acumulações marginais.

O grau API médio do petróleo produzido no mês foi de aproximadamente 24,9, sendo que 7,8% da produção é considerada óleo leve (>=31°API), 60,2%, óleo médio (>=22 API e <31 09="" 32="" a="" acordo="" anp="" api="" classifica="" com="" da="" de="" e="" leo="" n="" o:p="" o="" pesado="" portaria="">

A produção de petróleo e gás natural no Brasil foi oriunda de 8.950 poços, sendo 803 marítimos e 8.147 terrestres. O campo com o maior número de poços produtores foi Canto do Amaro, na bacia Potiguar, com 1.060 poços. Marlim, na bacia de Campos, foi o campo marítimo com maior número de poços produtores, 63 no total.

Boletim Mensal da Produção de Petróleo e Gás Natural: http://www.anp.gov.br/?pg=76990

TURISMO

Entrada de turistas internacionais em 2014: 6.429.852


________________


LGCJ.: